Mutirão disponibiliza mais de 700 vagas para inclusão de mulheres
06/03/2024
 
Larissa Falcão - Ascom Casa Civil - Texto
José Wagner/Vice-Governadoria e Thiago Gaspar/Casa Civil - Fotos

 

Mais oportunidades para as trabalhadoras e profissionais autônomas do Ceará. O Governo do Estado, por meio da Secretaria das Mulheres, da Secretaria do Trabalho e do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), realiza mutirão voltado às mulheres. Foram destinadas 700 vagas prioritárias para elas no lançamento da ação, na Unidade de Atendimento do IDT no Centro, em Fortaleza. O evento foi realizado na manhã desta quarta-feira e contou com as presenças da vice-governadora e secretária das Mulheres, Jade Romero; do secretário do Trabalho, Vladyson Viana; e do presidente do IDT, Raimundo Angelo.

A iniciativa ocorre em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, e marca o início das ações que terão continuidade no dia 8 de março em toda a rede do IDT/Sine no estado.

Jade Romero destaca a importância do apoio às mulheres, que ainda enfrentam desigualdades de oportunidades em diversos setores da sociedade. “Tem vagas para comércio, serviços e saúde, além de palestras para as que desejam ser autônomas. Também estamos fortalecendo o Ceará Credi Mulher, porque nós sabemos que muitas mulheres têm dificuldade de acesso ao mercado de trabalho formal em razão da jornada dedicada ao trabalho do cuidado. O empreendedorismo é uma porta de saída para a independência econômica das nossas mulheres”, defende.

Mutirão

Nesta quarta foram realizados processos seletivos para diversas ocupações e setores. Também teve oferta de serviços de beleza, saúde, encaminhamento para qualificação e palestra de orientação para atuarem como trabalhadoras autônomas. Empresas parceiras e a equipe Ceará Credi Mulher também fizeram atendimento no IDT do Centro.

A fortalezense Maria Suely Pereira, de 59 anos, chegou à unidade do Centro buscando recolocação profissional. Ela, que faz aniversário no próximo dia 27 de março, diz que seria um presente conseguir assinar a carteira. “Eu vim ao Mutirão atrás de um emprego de serviços gerais ou copeira. Faz muito tempo que eu não trabalho de carteira assinada. Eu preciso. Eu gosto de ter meu próprio dinheiro”, diz.

O secretário do Trabalho, Vladyson Viana, reforça que a proposta é sensibilizar as organizações para diminuir a discriminação que ocorre hoje no mercado de trabalho formal, que oportunizou somente 38% das novas vagas de 2023 para mulheres, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

“O IDT, que é o parceiro executor do programa Sine, faz um trabalho de mobilização junto às empresas sobre a importância da inserção das mulheres no mercado de trabalho. Esse vai ser um calendário permanente ”, ressalta Vladyson Viana.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADc) demonstram que enquanto a taxa de desemprego masculina está em 8,7%, entre as mulheres foi de 10,5%, no quarto trimestre de 2023 – uma diferença no patamar de 3,1 pontos percentuais.

Representando uma das empresas parceiras presentes na ação, a analista de Recursos Humanos Ana Virgínia dos Santos fala sobre a iniciativa. “A gente disponibiliza vagas desde o operacional até o estratégico para as mulheres. É um público muito importante para nós. No Grupo, temos mulheres na liderança, diretoria e coordenação”, afirma.

Kassy Ellen Pimental, 26, saiu do IDT nesta quarta com encaminhamento para entrevista de uma vaga de atendente em supermercado. “Estou confiante que vai dar tudo certo. Isso me deixa muito feliz, porque as pessoas não davam muito oportunidade”, conta.

Vale ressaltar que as trabalhadoras podem ir em qualquer Unidade do IDT/Sine, não importa o dia, com a sua documentação completa, para o encaminhamento às oportunidades de emprego. Saiba mais em https://idt.org.br/